sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

O pretérito perfeito

Você já se perguntou por que o passado é o tempo favorito da plenitude, da felicidade e de tantas outras futilidades do imaginário humano?

É porquê ele é o tempo mais vulnerável a estelionatos. Pois o presente é advogado de si próprio, e o futuro é uma dívida de um agiota sagaz (use de moratória, e espere o pior). Porém no passado não... lá eu fui feliz, vivi, sorri e tudo o mais (já que não volta mesmo, dele eu posso dizer o que quiser).

Deve ser por isso que na gramática ele é o único tempo mais-que-perfeito.

Um comentário:

luciano disse...

Esse foi bonzinho!