quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Admirável mundo real

Se entenderes destino como todas aquelas coisas em que seu arbítrio não foi exercido, mas que interferem fortemente no que você é, então quem você é hoje é apenas aquilo que você poderia ser e não podia ser muito diferente.

Aí algum ursinho carinhoso de voz nasal vai gritar:
- O primo do cunhado do genro do meu vizinho nasceu com mal de Parkinson, mas é um ótimo pianista. E aí?!
- Isso justifica o seu delírio de ser aquilo que você não é?! Uma exceção.

Nenhum comentário: