terça-feira, 28 de outubro de 2008

Barely Dual

Se o melhor, por regra é exceção, então o pior é a propria regra. Por sua vez, a probabilidade de você, meu caro leitor, ser um medíocre é bem maior do que o inverso. O interessante desse panorama é que quase ninguém releva a possibilidade de ser um imbecil.

Daí surge a pergunta:
- Como descobrir a que grupo se pertence?
- Nem me pergunte pois eu não faço idéia.

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

C'est la vie

Todo dia, toda hora, gente vive a fugir da “realidade”. Uns por químicos, outros por mentiras ou até mesmo por drogas como: novelas, religiões, auto-ajuda, I-Loser (ou seria I-Doser?) e isso sem falar nos estudantes de filosofia. (como eu)

O que ninguém pode negar é que se há tantas alternativas de fuga e tantas pessoas fugindo deve ser porquê a vida não é lá tão bonita quanto dizia Gonzaguinha, provavelmente ela se pareça um pouco com a Elza Soares.

Talvez, o fato de tantos se identificarem com a atitude “curtir a vida” se deve a uma situação comparável àquele ditado que diz: “Quando um político diz 3 vezes que não vai abdicar, pode apostar que ele vai.”

É... caro leitor(a), é a voz do desespero. Se ceticismo fosse bom eu não escrevia de graça.

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Tributo a Sócrates

A maiêutica é uma ótima ferramenta para os mestres da moral, pois imprime no idiota a sensação de profundidade. É como tomar cicuta por um "bem maior"!

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

ComuniQuê??

Todos os sistemas filosóficos, assim como todas as definições expostas por qualquer pessoa, estão imbuídos de um viés pessoal que inviabiliza a busca por uma verdade factual.

O que nós fazemos é ignorar as particularidades e seus "porquês" olhando apenas os pontos de convergência entre as definições alheias com as nossas, tomando essas "encruzilhadas" como verdades de fato.

Sendo assim é possível que todas as "verdades" sejam apenas convenções paupérrimas de razão e abundantes em justificativas para todos os gostos e paladares, enquanto o fenômeno "em si" é inefável, imperceptível ou até mesmo inexistente.

Na balada do cachorro louco.

Eu tenho a impressão que vivo orbitando pelas mesmas idéias. É como se constantemente eu retomasse como verdade uma velha incorreção, para mais tarde encara-la como tal. Uma vez me ocorreu de não descartar nada que eu ja houvesse desconsiderado, mas isso eu ja descartei por inviabilidade. (Em homenagem a Franci.)